Poupança de água nas plantações de café do Vietname

Ago 27,2015

Vevey, Suiça


Nas plantações de café do Vietname, objetos do dia-a-dia que normalmente são deitados fora, estão a ser reaproveitados como ferramentas que ajudam os agricultores a poupar água, através de um processo de irrigação mais eficiente. 

 

Latas de leite condensado vazias colocadas nas plantações servem para medir a quantidade de chuva. Garrafas de plástico colocadas com o bocal no solo permitem manter este húmido. São ferramentas simples e baratas de usar, quase sem custo, facilmente escaláveis em todos os pequenos produtores de café. 

O Vietname é o segundo maior produtor de café a nível mundial e 2,6 milhões de pessoas dependem deste sector para o seu sustento. A maioria das plantações situam-se em Central Highlands, onde a agricultura recorre a cerca de 96% da água da região. 

As alterações climáticas e o uso excessivo de água na agricultura agravam a escassez da água, que é um problema crescente para os agricultores e indústria. Um estudo cofinanciado pela Nestlé estima que, em média, os produtores de café usam 60% mais água do que a necessária durante a época seca, que se situa entre Novembro e Abril. 


A escassez de água representa custos ambientais e económicos 

Para além dos custos ambientais, e do risco que a escassez de água representa para a indústria de café do Vietname, os agricultores também enfrentam custos financeiros e laborais. Apesar de não pagarem a água que adquirem dos furos, têm que suportar os custos do combustível das respetivas bombas, despendendo ainda de tempo desnecessário para realizar a rega dos campos. 

Pham Phu Ngoc, o responsável local pela equipa Agri-service da Nestlé, explica que a melhor forma de combater este problema rapidamente é usando ferramentas de baixo custo e facilmente acessíveis e usadas pelos agricultores. 

“O café no Vietname é produzido em pequenas áreas, pelo que técnicas de gestão em larga escala são de difícil implementação, pelo que ferramentas inovadoras inspiradas pelos agricultores de café têm mostrado um grande potencial,” refere. 

É um conceito que Ngoc ajudou a disseminar na rede da Nestlé, de quase 20.000 produtores que fornecem a Companhia de café diretamente. 


Ferramentas simples e escaláveis ganham terreno no Vietname 

Ao inserir garrafas de plástico com o bocal no solo e observando os níveis de condensação dentro desta, o produtor de café possui um instrumento para medir a quantidade de água no solo. Quando a água se apresenta escassa na garrafa, este sabe que está na altura de iniciar a rega da estação seca. 

Após a primeira rega, o agricultor recorre a uma lata vazia de leite condensado como forma de saber a quantidade de água das chuvas que as suas plantas estão a receber – consegue assim ajustar a quantidade de água usada na rega ao longo da estação seca. Por exemplo, se uma lata de leite estiver 1/6 com água, este sabe que as suas plantas receberam cerca de 100 litros de água da chuva. 

“A garrafa funciona”, refere Ngoc. “É mais eficiente do que determinadas ferramentas mais sofisticadas e que acabam por ser demasiado complexas para os agricultores.” 

Os produtores de café do Vietname usam entre 700 a 1000 litros de água por planta, mas agora com a mesma produção de café usam apenas 300 a 400 litros – as poupanças são superiores a 50% na maioria dos casos.


Abordagem adequada aos pequenos produtores de café do Vietname 

Enquanto os agricultores nos países mais desenvolvidos implementam técnicas sofisticadas para reduzir o uso de água, atividades básicas e educativas estão a revelar-se ferramentas eficazes no meio rural do Vietname. A lata de leite e as garrafas de plástico são bons exemplos de ferramentas simples com impactos significativos. 

A Nestlé promove diretrizes mais compreensivas sobre a conservação da água na sua rede Farmer Connect no Vietname, através de Melhores Práticas Agrícolas Nescafé desenvolvidas com a Organização Não Governamental (ONG) Rainforest Alliance, que faz parte do Plano Nescafé global. 

Trabalhando em conjunto com a Agência Suíça para o Desenvolvimento e a Cooperação (DDC), a Companhia está também a ajudar a educar mais agricultores de café do Vietname, sobre as boas práticas agrícolas, incluindo a gestão da água.

“A garrafa e a lata são simples ferramentas para medir a humidade no solo, apresenta aos agricultores a melhor altura para realizarem a rega,” refere Carlo Galli, Gestor Técnico da Nestlé para os Recursos Hídricos. “Este caso do Vietname não se trata de alta tecnologia, é principalmente sobre senso comum e atuar de forma simples.”