“Aliança para a Juventude” compromete-se a criar 68 mil oportunidades de trabalho e formação até 2020

Jul 14, 2017
  • Impulsionada pela iniciativa privada, a “Aliança para a Juventude” em Portugal já disponibilizou 64.625 oportunidades de emprego e formação desde 2014;
  • Às 14 empresas que em Portugal integram a iniciativa desde a sua origem, juntaram-se hoje a ALPI Portugal, a BP Portugal, a LIFT World e a empresa Transportes Figueiredo, SA.
  • Num evento que contou com o Alto Patrocínio de Sua Excelência o Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, as agora 18 empresas parceiras comprometeram-se a disponibilizar mais 68 mil novas oportunidades até 2020;
  • O “Ensino Dual” assume um papel fundamental no apoio ao emprego jovem, já que promove a aproximação dos jovens ao mercado de trabalho.  

 

O conjunto das 14 empresas parceiras na “Aliança para a Juventude” em Portugal anunciou hoje os resultados do trabalho coletivo em prol da empregabilidade jovem, desenvolvido no nosso País no triénio 2014-2016. No total, foram criadas 64.625 oportunidade de trabalho e formação em todo o País. Deste número total, 57.421 correspondem a contratos de trabalho e 7.204 a oportunidades de aprendizagem em ambiente empresarial e industrial. Neste evento, que teve lugar na Escola Profissional Gustave Eiffel – Campus Académico do Lumiar, foram ainda anunciados os compromissos para o próximo período de trabalho, que se iniciou em janeiro de 2017 e que terminará em dezembro de 2020. Para os próximos quatro anos, os parceiros da “Aliança para a Juventude” comprometeram-se a criar em Portugal mais 68.000 oportunidades de trabalho e de formação.

Neste evento, que contou com o Alto Patrocínio do Presidente da República, estiveram representadas as 14 empresas que, em 2014, num evento realizado em Lisboa, assinaram uma declaração de compromisso no sentido de ajudar a promover a empregabilidade dos jovens portugueses, apoiando-os na sua entrada no mercado de trabalho. Empresas dos mais variados setores de atividade como a BA Vidro, o BPI, a Germen, a GraphicsLeader, a Jerónimo Martins, a Logoplaste, a Luís Simões, a The Navigator Company, a Nestlé, o Eurogroup Consulting, a RAR, a SAICA PACK, a Sonae e a Vodafone. No seu conjunto, estas empresas tinham como objetivo inicial, largamente ultrapassado, a criação de 8000 novas oportunidades para os jovens portugueses no triénio 2014-2016.

Este evento proporcionou ainda aos estudantes da Escola Profissional Gustave Eiffel a participação em dinâmicas de trabalho sobre competências consideradas imprescindíveis no atual mercado de trabalho, como o desenvolvimento de soft skills e a preparação de CVs e de perfis no Linkedin como forma de potenciar uma maior eficácia no primeiro contacto com o mercado de trabalho.

“Em três anos de trabalho conjunto o grupo de parceiros na “Aliança para a Juventude” atingiu as 200 empresas de 23 países da Europa, 14 delas em Portugal, às quais se juntaram agora mais quatro. Este vasto consórcio de empresas, que forma também parte da “European Alliance for Apprenticeships”, está empenhado na promoção de oportunidades de trabalho e no encontro de soluções em conjunto com as autoridades e com as escolas para ajudar a resolver um grave problema económico e social”, afirma Jordi Llach, Diretor Geral da Nestlé Portugal, revelando ainda a sua natural satisfação com o facto de se ter conseguido transformar uma iniciativa privada de uma empresa num amplo movimento social.

O Presidente e Administrador-Delegado do Grupo Jerónimo Martins, Pedro Soares dos Santos considera que “o desemprego jovem é um flagelo global e uma oportunidade perdida, sobretudo na medida em que estamos perante uma geração muito bem preparada”. Por isso, explica, “aderimos à Aliança com grande entusiasmo porque, mesmo sabendo que o que podemos fazer é muito insuficiente face à escala do problema, acredito que a união de esforços das várias empresas perante este desafio comum e os resultados que já foi possível alcançar transformam esta Aliança numa mensagem de esperança.”

Necessidade de promover sistemas de ensino dual

Desde 2014, as empresas parceiras na "Aliança para a Juventude” têm vindo a apostar no desenvolvimento de sistemas de ensino dual.

Ao oferecer uma experiência de trabalho, as empresas querem ajudar os jovens desempregados a romper com aquela que muitos consideram ser ainda razão número um para não ser contratado: a falta de experiência. Para Maria do Rosário Vilhena, Diretora de Recursos Humanos e Serviços da Nestlé Portugal, “esta é uma ‘ferramenta’ muito importante para promover o encontro de expectativas entre a entidade empregadora e os estudantes, fazendo uma aproximação mais real e eficaz para ambas as partes. Foi também por essa razão que o evento de apresentação de resultados e novos compromissos da ‘Aliança para a Juventude’ decorreu na Escola Profissional Gustave Eiffel, uma escola que desenvolve um trabalho exemplar no campo da ligação dos jovens ao mundo empresarial e da sua excelente preparação para uma realidade que por vezes é díspar do mundo académico”.

O objetivo é proporcionar uma formação académica de vertente técnica, não necessariamente de ensino superior, que vá ao encontro das necessidades das empresas e do mercado de trabalho.

Para dar testemunho desta realidade, os presentes no evento puderam ainda ouvir o exemplo de nove percursos profissionais de jovens portugueses que já usufruíram do sistema de ensino dual em projetos piloto implementados pelas empresas signatárias da “Aliança para a Juventude”.

O objetivo da Aliança em Portugal é alargar esta prática no nosso País, beneficiando das experiencias vividas noutros países europeus como a Alemanha ou a Áustria.

Sobre a Aliança para a Juventude

Impulsionada pela iniciativa privada, a “Aliança para a Juventude” visa a promoção do emprego jovem na Europa. Iniciada em 2014 pela Nestlé com um desafio às suas empresas parceiras de negócio, este grupo conta agora com a adesão de mais de 200 empresas europeias, que, no triénio 2014/2016, já formaram e contrataram 115 000 jovens, promoveram mais de 600 sistemas de ensino dual e organizaram 10 000 workshops no sentido de preparar os jovens recém-licenciados para entrevistas de emprego ou para os ajudar a entrar no mercado de trabalho, escrevendo “a primeira linha dos seus currículos”.

Membro da “European Alliance for Apprenticeships”, a Aliança para a Juventude é o primeiro movimento pan-europeu orientado para as empresas, comprometendo-se a ajudar os jovens na preparação para a sua entrada no mundo profissional e a melhorar a sua integração num mercado de trabalho cheio de desafios. Em 2016 este movimento estendeu-se também à América Latina.

TAGS - #ALLiance4YOUth, jovem, emprego, ensino dual