Aveia, o novo aliado de uma vida saudável

7 Set, 2018

Aveia 

A aveia é, cada vez mais, uma tendência nos nossos dias, estando a ganhar terreno em relação a outros cereais, nomeadamente ao trigo, sobretudo devido aos seus inúmeros benefícios para a saúde.

Considerada como um dos cereais mais ricos em proteínas, cálcio, ferro e vitaminas indispensáveis ao nosso organismo, a aveia destaca-se por ter um elevado valor nutritivo. Contém também uma grande quantidade de fibras alimentares, especialmente betaglucana, o que lhe confere múltiplos benefícios: ajuda a reduzir o colesterol, a controlar o peso, a diabetes, a pressão arterial e a combater a obstipação. Mas não só, a Food and Drug Administration, responsável pela proteção e promoção da saúde pública nos EUA, reconheceu o contributo da betaglucana na diminuição dos riscos de desenvolvimento de doenças cardiovasculares. Além disso, o consumo de aveia estimula o funcionamento da tiroide e melhora a resistência ao frio. À semelhança de outros cereais, a aveia é ainda uma boa fonte de ácido fítico, contendo assim várias propriedades anticancerígenas.

Para que a aveia seja comestível, tenha um sabor agradável e seja digerida pelo nosso organismo, é necessário que o grão seja moído. As diferentes apresentações deste cereal variam consoante o processo de moagem.

Flocos de aveia

A aveia em flocos é a variedade mais completa, uma vez que é produzida simplesmente pelo esmagamento dos grãos. A espessura dos flocos pode variar consoante o objetivo pretendido – por exemplo, para a produção de muesli são utilizados flocos maiores, enquanto que para as papas de aveia são mais pequenos, de forma a obter uma cozedura mais rápida. Apesar de diferirem no tamanho, têm as mesmas propriedades nutricionais.

Farelo de aveia

A aveia pode ser moída em frações mais finas ou mais grossas. A estas últimas dá-se o nome de farelo. Este é considerado a forma mais nutritiva de moagem, pois é obtido, sobretudo, a partir da casca do grão. Entre os diferentes tipos de aveia, o farelo é o que tem maior teor de fibras (betaglucana), proteínas, vitaminas e minerais.

Farinha de aveia

Esta é a versão mais fina da aveia. Durante a moagem, a farinha de aveia tende a aglomerar devido ao elevado teor de gordura. Assim, para que a farinha se mantenha solta, é utilizado ar para diminuir a acumulação de calor. Este tipo de farinha é utilizado na indústria principalmente para produzir cereais prontos a comer. A farinha de aveia tem maior teor de amido e menor teor de gordura e fibra do que o farelo.

 

  

A procura de um estilo de vida mais saudável e equilibrado e o conhecimento dos benefícios da aveia têm levado a um maior interesse por este cereal. A aveia começa a substituir outros ingredientes e conquistou um novo papel como componente essencial de leites, farinhas e até cosméticos.

  

PERGUNTAS E RESPOSTAS

A aveia contém glúten?

No seu estado puro, ou seja, livre de contaminações cruzadas por parte de outros cereais, a aveia não contém glúten. No entanto, segundo a Associação Portuguesa de Celíacos, no nosso país, a aveia é tratada nos mesmos depósitos que outros cereais com glúten, pelo que não se pode garantir que esta se encontra livre de vestígios desta proteína. Assim, não se recomenda o consumo de aveia a pessoas que sofram de doença celíaca.

A aveia ajuda a perder peso?

Num estudo publicado em 2014, observou-se que os indivíduos que consumiam papas de aveia ao pequeno-almoço mantinham-se saciados durante quatro horas, ao contrário dos que não consumiam este cereal nessa refeição. Este prolongamento da saciedade deve-se à viscosidade da fibra betaglucana, a qual está associada a diferentes benefícios gastrointestinais, como atraso no esvaziamento gástrico e do trânsito intestinal.

A aveia diminui o colesterol?

São várias as investigações que dão conta de que a aveia pode ajudar a reduzir o colesterol. A European Food Safety Authority (EFSA) publicou, em 2010, um artigo que explica que a fibra betaglucana reduz o colesterol sanguíneo, diminuindo, assim, o risco de doenças cardíacas. Para que isto se verifique, o alimento deve fornecer no mínimo 3 g de betaglucana por dia e fazer parte de uma alimentação equilibrada.

A aveia ajuda a controlar a glicémia?

Há estudos que indicam que a aveia, como parte integrante de uma alimentação saudável, ajuda, significativamente, a reduzir os níveis de glicémia após uma refeição, bem como as respostas insulínicas. Tal efeito deve-se ao facto de a aveia ajudar a retardar o trânsito gastrointestinal, o que faz com que a absorção dos nutrientes, incluindo os açúcares, seja mais lenta, diminuindo a ocorrência de picos de glicémia. Deste modo, este cereal mostra ser benéfico no controlo glicémico em indivíduos com diabetes tipo 2.