Nestlé já retirou + de 2 000 Ton de açúcar da alimentação dos portugueses

11 Dez, 2018

Reformulação Nutricional Nestlé 

A Nestlé Portugal retirou, nos últimos cinco anos, mais de duas mil toneladas de açúcar da alimentação dos portugueses. O contributo para a melhoria da qualidade de vida dos portugueses e, em particular, a promoção de uma alimentação mais saudável, são os fatores que têm motivado a Companhia a levar a cabo uma extensa reformulação das suas receitas e que têm orientado a sua inovação. Um caminho que começou a ser trilhado há alguns anos atrás.

 

Brochura Reformulação Nutricional Nestlé 

Veja a brochura sobre a reformulação nutricional da Nestlé Portugal

 

Desde 2013 até hoje, a Nestlé reduziu 30% dos açúcares adicionados aos seus cereais de pequeno-almoço, na categoria dos achocolatados em pó NESQUIK lançou uma nova receita com menos 30% de açúcar e a quantidade de açúcar nos pacotes que são distribuídos com as marcas de café torrado da Nestlé – BUONDI, SICAL, TOFA, CHRISTINA e NESCAFÉ – foi também reduzida em 10%. Mas não é só no açúcar que recai a atenção da Nestlé. Também nos últimos cinco anos foram retirados da alimentação dos portugueses cerca de 50 milhões de gramas de sal, através das otimizações nutricionais aplicadas sobretudo à gama de produtos culinários.

Este longo caminho começou mais atrás, há 20 anos, quando a Nestlé Portugal foi pioneira no lançamento de um programa de educação alimentar nas escolas em parceria com o Ministério da Educação. Paralelamente a este trabalho pedagógico, a Nestlé tinha já presente a necessidade de reduzir o açúcar do seu portefólio, tendo começado logo pela gramagem dos seus pacotes de açúcar e pela introdução de um novo modelo para avaliação do Perfil Nutricional para Efeitos de Reformulação.

Deste momento em diante o processo foi evoluindo em paralelo com a informação prestada ao consumidor e da qual a Nestlé foi também pioneira. Ainda em 2005 foi lançado o compasso nutricional e foram introduzidos os Valores Diário de Referência (VDR) na maioria das embalagens de produtos Nestlé. Dois anos mais tarde, em 2007, foram introduzidos os cereais integrais em toda a gama de cereais de pequeno-almoço e foi elaborada a primeira política da Nestlé relativa ao açúcar, com metas claras para os passos futuros, alguns deles já hoje alcançados.

Ao longo destes 20 anos a aposta em renovação e inovação das suas marcas tem sido notória para o consumidor: removemos os aromas artificiais, adoçantes ou conservantes no NESQUIK em pó e em toda a gama de confeitaria (2010-2012); lançámos uma nova receita de CHOCAPIC com menos 22% de açucares (2013) e novas sopas MAGGI com um teor de sal médio de menos 21% (2014); voltámos aos pacotes de açúcar para lhe retirar mais conteúdo e fixar a sua quantidade em cinco gramas (2015); reduzimos o teor de açúcares na gama de cereais de pequeno-almoço dirigidos a crianças e adolescentes para menos 9g/100g (2016); lançámos os caldos de galinha MAGGI com menos 26% de sal e retirámos 6% de açúcares ao Kit Kat; no clássico CERELAC Bolacha Maria colocámos no mercado uma receita com menos 29% de açúcar (2016-2017) e, mais recentemente, voltámos a inovar na gama de cereais de pequeno-almoço, com o novo NESQUIK Alphabet que tem menos 40% de açúcares que a média dos cereais de chocolate do mercado (2018).

São estes e outros exemplos já presentes no portefólio da Nestlé em Portugal que mostram a procura contínua pela melhoria da qualidade de vida dos portugueses e o contributo para um futuro mais saudável – o propósito Nestlé. Este é um trabalho que nunca vai estar terminado. A preocupação de corresponder às necessidades nutricionais dos consumidores portugueses começou há 96 anos em Portugal e a Nestlé continuará a sua caminhada pela reformulação de receitas, trabalhando de perto com as autoridades governamentais, com os seus pares e com a industria, indo sempre ao encontro dos compromissos assumidos com os portugueses.