Nestlé S.A. divulga os resultados do primeiro semestre de 2017

2,3% de crescimento orgânico, com 1,4% de crescimento real interno

Jul 27, 2017
  • Crescimento orgânico de 2,3%, com 1,4% de crescimento real interno (RIG) e 0,9% de pricing.

  • Vendas impactadas por desinvestimentos líquidos de -2,3% (devido principalmente à criação da joint venture Froneri JV) e taxas de câmbio (-0,3%), o total de vendas reportadas foi de CHF 43,0 mil milhões (- 0,3%).

  • A margem de lucro operacional* aumentou 10 pontos base a câmbio constantes, manteve-se estável a 15,8%.

  • Devido ao aumento das atividades de reestruturação, a margem de lucro operacional diminuiu 20 pontos a câmbios constantes e 30 pontos base, para 15,0%.

  • Os ganhos por ação aumentaram 3,4% a câmbios constantes, na ordem dos 2,1%, para CHF 1,68.

  • Previsões confirmadas para o ano de 2017, com um crescimento orgânico que se situa, provavelmente, dentro da metade inferior do intervalo de 2-4%; margem de lucro operacional estável a câmbios constantes, como resultado do aumento considerável dos custos de reestruturação; ganhos por ação a câmbios constantes e com uma eficiência de capital revista em alta.

Escreva texto ou o endereço de um Web site ou traduza um documento

Mark Schneider, CEO da Nestlé: "Estamos satisfeitos com os progressos feitos no campo da Criação de Valor no primeiro semestre de 2017. Estes progressos incluem melhorias operacionais sólidas, bem como a gestão de escolhas de portefólio e a nossa decisão de aumentar a eficiência da nossa folha de balanço.

O crescimento orgânico no primeiro semestre não satisfez completamente as nossas expectativas. Enquanto o crescimento do volume permanece acima do nível registado no nosso sector, o pricing continua moderado. Ásia e África confirmaram a sua dinâmica de crescimento positivo. A Europa Ocidental registou uma diminuição do volume, o que acreditamos ser, em grande medida, transitório. A América do Norte e a América Latina mostraram uma ligeira melhoria no crescimento orgânico, liderado principalmente por volume. Os nossos negócios de café, água e petcare confirmaram seu potencial de crescimento, com fortes resultados no primeiro semestre.

A rentabilidade está em linha com as nossas expectativas, uma vez que as poupanças com reestruturações e os ganhos de eficiência compensaram a alta de custos das commodities. Estamos a acelerar as nossas iniciativas com vista a obtenção de melhorias de margem.

Confirmamos as nossas previsões para 2017, com um crescimento orgânico que se situará,provavelmente, dentro da metade inferior da margem 2-4%. As nossas projeções de crescimento orgânico de meio-termo para 2020 mantêm-se inalteradas.”

 

Os resultados do Grupo

* O lucro operacional de negociação subjacente é definido como o lucro operacional da negociação antes de outras receitas/despesas. Outras receitas/despesas líquidas incluem principalmente reestruturações, imparidades e resultados de alienações de PP & E, litígios e contratos onerosos.

Total Grupo

AMS

EMENA

AOA

Nestlé

Waters

Nestlé

Nutrition

Outros

Negócios

Vendas 6M – 2017 (CHF m)

Vendas 6M – 2016 (CHF m)

43’023

43’155

13’314

12’938

7’800

8’694

7’902

7’799

4’025

3’937

5’184

5’171

4’798

4’616

Crescimento Real Interno (RIG)

Pricing

Crescimento Orgânico

Net M&A

Câmbio

Crescimento de Vendas reportadas

1.4%

0.9%

2.3%

-2,3%

-0.3%

-0.3%

-0.1%

1.4%

1.3%

-0.9%

2.5%

2.9%

0.6%

0.4%

1.0%

-9.3%

-2.0%

-10.3%

3.0%

1.8%

4.8%

-0.5%

-2.9%

1.4%

3.5%

0.5%

4.0%

-0.3%

-1.7%

2.0%

-0.2%

1.1%

0.9%

-0.3%

-0.2%

0.4%

4.5%

-0.8%

3.7%

0.2%

0.0%

3.9%

6M – 2017 Margem TOP

6M – 2016 Margem TOP

15.0%

15.3%

17.2%

17.7%

16.9%

16.8%

19.6%

20.1%

12.0%

12.4%

24.3%

23.2%

13.1%

15.6%


 

Vendas

As vendas totais reportadas foram de CHF 43,0 mil milhões (-0,3%), refletindo o impacto de desinvestimentos líquidos (-2,3%,devido principalmente à criação da jointventure Froneri) e às taxas de câmbio (-0,3%). O crescimento orgânico esteve abaixo das expectativas, em 2,3%. O RIG foi resiliente, em 1,4%, mas os preços mantiveram-se estáveis em 0,9%.


A Zona AMS manteve-se em linha com as nossas expectativas já que os produtos para animais nos EUA recuperaram após um início de ano lento. A Zona EMENA registou um crescimento mais lento do que o antecipado no segundo trimestre. Os aumentos de preços seletivos na Europa Ocidental e um clima desfavorável registado em junho tiveram um impacto negativo de curto prazo sobre o crescimento real interno. A região AOA acelerou pelo quinto trimestre consecutivo, recuperando sua posição como motor de crescimento para o Grupo. A Nestlé Waters demonstrou um consistente nível de crescimento. A Nestlé Nutrition alcançou um fraco crescimento, enquanto o mercado chinês manteve-se difícil e os mercados desenvolvidos estiveram, no geral, ligeiramente negativos. A Nestlé Skin Health diluiu o crescimento de vendas do Grupo do devido à pressão dos genéricos no negócio da prescrição. A Nespresso continuou a ser um fator-chave para o Grupo.


No geral, os mercados desenvolvidos entregaram um crescimento orgânico estável de 0,8%, com um sólido RIG de 1,1%, compensado por um negativo pricing de 0,3%. Nos mercados emergentes, o crescimento orgânico desacelerou 100 pontos base, para 4,4%, com um crescimento real interno de 1,9% e pricing de 2,5%.

O crescimento por categoria foi amplamente liderado pelos produtos: água, café e petcare. A confeitaria foi a única categoria a apresentar um crescimento negativo, embora tenha estabilizado no segundo trimestre.

Resultados Operacionais Correntes

O resultado da margem de lucro operacional manteve-se estável em CHF 6,8 mil milhões. A margem permaneceu estável a 15,8%, mas aumentou em 10 pontos percentuais a câmbios constantes.

Os projetos de eficiência, o pricing e a gestão de portefólio geraram 100 pontos base de valor adicional. No entanto, esses benefícios foram absorvidos por um aumento quase equivalente nos preços das matérias-primas, enquanto o nosso cesto de commodities registou inflação pela primeira vez em dois anos. Os gastos com marketing de consumo diminuíram apenas ligeiramente.

Como esperado, os custos de reestruturação como outros itens operacionais líquidos registaram um aumento global de 77%, para CHF 166 milhões e para CHF349 milhões, respetivamente, devido à implementação de nossas iniciativas de poupança com custos estruturais. Como consequência, a margem de lucro operacional (TOP), decresceu de 2,5% para CHF 6,4 mil milhões. A margem TOP decresceu 30 pontos base (-20 pontos de base a câmbios constantes) para 15,0%.

Resultado Líquido

O lucro líquido aumentou 19% para CHF 4,9 mil milhões, enquanto que no ano anterior foi impactada por um ajuste único e não monetário de impostos diferidos. Os ganhos por ação também aumentaram de 19% para CHF 1,58 pela mesma razão. Os ganhos por ação aumentaram 2,1% para CHF 1,68 e 3,4% a câmbios constantes.

Cash Flow e Capital circulante

O free cashflow decresceu CHF 2,0 mil milhões em relação ao ano passado, passando de CHF 3,3 mil milhões para CHF 1,3 mil milhões. O principal contribuinte para este declínio foi o capital circulante com uma saída de caixa de CHF 1,3 mil milhões. No primeiro semestre 2017, o aumento do capital circulante foi maior do que no final do mesmo período do ano passado, devido à inflação dos preços das commodities, do calendário de créditos para marketing e às despesas de capital.

Na nossa folha de balanço, foram feitos progressos contínuos para reduzir, estruturalmente, o capital circulante líquido, resultando numa redução adicional de CHF 0,5 mil milhões em junho 2017, em comparação com Junho de 2016.

Zona EMENA

  • Crescimento orgânico 1,0%:  0,6% de RIG; 0,4% de pricing.

  • A Europa Ocidental decresceu ligeiramente em termos orgânicos com um crescimento real interno negativo e com um pricing estável.

  • A Europa Central e do Leste alcançou um crescimento orgânico médio de um dígito, com um forte crescimento real interno e com pricing positivo.

  • O Médio Oriente e o Norte da África registaram um crescimento orgânico baixo de um dígito, ambos com RIG e pricing positivos.

  • A margem de lucro operacional da Zona EMENA cresceu 50 pontos base, enquanto a margem de lucro operacional de negociação também melhorou 10 pontos base para 16,9%, apesar dos custos de reestruturação terem aumentado.

Vendas

6M

2017

Vendas

6M

2016

RIG

Pricing

Crescimento orgânico

TOP

6M

2017

TOP

6M

2016

Margem

6M

2017

Margem

6M

2016

Zona EMENA

CHF 7.8 mil milhões

CHF 8.7 mil milhões

0.6%

0.4%

1.0%

CHF 1.3 mil milhões

CHF 1.5 mil milhões

16.9%

16.8%

As vendas reportadas na Zona EMENA caíram 10,3% para CHF 7,8 mil milhões. O crescimento orgânico de 1,0%, inferior ao do primeiro trimestre, uma vez que o pricing se manteve constante devido a um baixo RIG. Os desinvestimentos líquidos reduziram as vendas reportadas para 9,3%, refletindo principalmente a transferência de gelados para a joint-venture Froneri. As taxas de câmbio desfavoráveis reduziram as vendas publicadas em mais 2%.


Procedemos a aumentos de preços em toda a zona, especialmente para NESCAFÉ. Isto teve um impacto de curto prazo sobre o crescimento real interno no segundo trimestre. O clima quente em junho, foi igualmente uma desvantagem para categorias chave na Europa Ocidental. Petcare continuou a gerar um forte crescimento em toda a zona, particularmente na Rússia. O Norte de África registou uma boa performance, suportado por aumentos de preços, enquanto o Médio Oriente tem continuado a sofrer com instabilidade política e uma deflação constante.


Apesar do elevado custo das commodities, a margem de lucro operacional da zona aumentou 50 pontos base, resultado de aumentos de preços, da gestão de portefólio e da poupança de custos. A margem de lucro operacional também aumentou 10 pontos base, para 16,9%, uma vez que as melhorias de eficiência compensaram os custos de reestruturação.

Perspetivas 2017

As perspetivas para o total do ano 2017 confirmam-se com o crescimento orgânico situado provavelmente na metade inferior do intervalo de 2-4%. Com o objetivo de gerar uma rentabilidade futura, estamos a aumentar consideravelmente os custos de reestruturação. Como resultado, espera-se que a margem de lucro operacional à taxa de câmbio constante seja estável. São também esperados aumentos nos lucros por ação a câmbios constantes e na eficiência de capital.

Consulte aqui o Comunicado de Imprensa integral (versão em inglês).