Produtos biológicos: por um mundo mais sustentável

12 Set, 2018

Agricultura biológica 

Parece já não haver dúvidas de que os produtos biológicos vieram para ficar. Além de mais saudáveis, respeitam o meio ambiente, protegendo o planeta e os recursos para as gerações futuras. Em Portugal, são cada vez mais os Consumidores que fazem esta opção. No nosso país, a produção biológica tem crescido 20% ao ano.

A agricultura biológica é um modo de produção que tem como objetivo produzir alimentos saudáveis e de elevada qualidade, ao mesmo tempo que promove práticas sustentáveis e de impacto positivo no ecossistema agrícola. Através do uso adequado de métodos preventivos e culturais, tais como as rotações, os adubos verdes, a compostagem, as consociações e a instalação de sebes vivas, fomenta a melhoria da fertilidade do solo e a biodiversidade. Não recorre à aplicação de pesticidas, de adubos químicos de síntese, nem ao uso de organismos geneticamente modificados.

Considerando que o solo é a base de toda a cadeia alimentar, a principal preocupação da agricultura biológica começa aqui. Neste contexto, toda a prática agrícola tem como objetivo conservar e melhorar a fertilidade do solo. Ao optar por adubos naturais, garante a preservação das águas superficiais e subterrâneas.

Também a produção animal biológica se pauta por normas de ética e respeito, praticando uma alimentação adequada à fisiologia dos animais e facultando condições que permitam expressar os seus comportamentos naturais. Não são utilizadas hormonas nem antibióticos como promotores de crescimento.

Efetivamente, a produção biológica – seja agrícola ou animal – respeita o equilíbrio natural do meio ambiente e atua de acordo com quatro princípios definidos pela International Federation of Organic Agriculture Movements: saúde, ecologia, equidade e preocupação.

Legislação específica

Na Europa, a agricultura biológica é sujeita a legislação específica. O Regulamento (CE) n.º 834/2007 do Conselho de 28 de junho, relativo à produção biológica e à rotulagem dos produtos biológicos, estabelece normas detalhadas, cujo cumprimento é controlado e certificado por organismos acreditados para o efeito.

Estes produtos são reconhecidos pelo logótipo europeu de agricultura biológica. A certificação é um sistema de controlo, com um regulamento específico europeu e uma norma portuguesa, que orienta as práticas dos intervenientes da cadeia de produção, transformação, distribuição, armazenamento, importação e exportação dos produtos biológicos.

logótipo europeu de agricultura biológica 

Agricultura biológica cresce 20% ao ano em Portugal

Em Portugal, a produção biológica tem registado um crescimento exponencial, cerca de 20% ao ano, e a área agrícola aumentou 20 vezes no espaço de apenas 15 anos. De acordo com os últimos dados disponíveis, relativos a 2015, a superfície com agricultura biológica em Portugal Continental é de 239 864 hectares, o que corresponde a um acréscimo de 12% relativamente a 2014.

No nosso país, só a partir dos anos 90 é que a área cultivada com agricultura biológica começou a ter algum peso económico e social, contribuindo para este incremento os apoios financeiros às explorações agrícolas, assim como o aparecimento de organizações associativas como a AGROBIO – Associação Portuguesa de Agricultura Biológica.

O desafio global que o setor biológico enfrenta consiste em garantir um crescimento constante da oferta e da procura e gerar produtos diferenciados, com maior valor acrescentado, preservando, ao mesmo tempo, a confiança dos Consumidores.

  

Biológico = orgânico = natural?

Produtos biológicos são também conhecidos como orgânicos (Brasil e países de língua inglesa), ecológicos (Espanha e Dinamarca) ou naturais (Japão). Contudo, existem diferenças entre produtos biológicos e naturais. Embora estes últimos se refiram a tudo o que provém diretamente da natureza, podem utilizar pesticidas ou fertilizantes químicos, antibióticos ou hormonas de crescimento, aditivos alimentares e sementes geneticamente modificadas, além de não serem certificados. Ou seja, podem seguir práticas contrárias às dos produtos biológicos.

 

Princípios da agricultura biológica