Nestlé Portugal tem já mais de 90% do seu material de embalagem pronto a ser reciclado ou reutilizado

18 de março - Dia Mundial da Reciclagem
Voltar aos Comunicados de Imprensa

Em Portugal, a Nestlé tem já mais de 90% do seu material de embalagem pronto a ser reciclado ou reutilizado. Este processo de transformação, que se iniciou há já alguns anos, está a contribuir para o compromisso global da companhia, anunciado em 2018, de atingir o ano 2025 com 100% das embalagens recicláveis ou reutilizáveis, em todos os países onde a empresa está presente. Como forma de assinalar o Dia Mundial da Reciclagem – promovido pela Global Recycling Foundation – que se celebra amanhã, a Nestlé revela o caminho que já percorreu em Portugal.

Para cumprir este caminho, as fábricas da Nestlé em Portugal – Porto e Avanca – têm sido importantes polos de inovação, trabalhando sempre sob o conceito “Sustainable by Design” e juntamente com as empresas parceiras de negócio, para, desta forma, pensar o desenvolvimento de produto em todas as suas dimensões: nutrição, sabor, textura, sustentabilidade e qualidade das embalagens que os envolvem.

Logo em 2019, a Nestlé lançou em Portugal os primeiros produtos com embalagem 100% em papel: a gama NESQUIK All Natural e os snacks YES! Em seguida, nesse mesmo ano, os novos snacks biológicos para bebés NATURNES BIO NutriPuffs, produzidos na fábrica de Avanca, foram desenvolvidos já sob o conceito Sustainable by Design.

Mas este caminho da reciclabilidade tem sido também desenvolvido por marcas já bem conhecidas dos consumidores portugueses, como é o caso de NESTUM, cujas embalagens de toda a gama são 100% recicláveis. Também os cereais de pequeno-almoço NESQUIK, CHOCAPIC e ESTRELITAS, também eles fabricados em Avanca, atingiram já a reciclabilidade total. Na fábrica do Porto este processo de transformação deu, no final do ano passado, um passo significativo com o fabrico da primeira embalagem de café torrado, para o segmento profissional, 100% reciclável, com BUONDI Prestige. Esta inovação de embalagem, produzida a partir de um material plástico 100% reciclável em Portugal, permitirá eliminar o consumo anual de alumínio em 2,2 km2, bem como reduzir o consumo de água e energia necessários para produzir e reciclar este material. O material, sendo menos complexo, é considerado uma opção mais favorável à reciclagem, pelo que será possível efetuar este processo em alguns países nos quais não era possível fazê-lo com as embalagens anteriores.

Ainda no ano passado, em janeiro, a Nestlé adicionou um novo objetivo ao seu trabalho de transformação das suas embalagens com o anúncio de um investimento de até CHF dois mil milhões para liderar a mudança na utilização de plásticos virgens para plásticos reciclados de qualidade alimentar. O objetivo é acelerar o desenvolvimento de soluções inovadoras de embalagens sustentáveis. Com base neste compromisso, a Nestlé reduzirá para um terço a sua utilização de plásticos virgens neste mesmo período até 2025. Desde o início de 2020, a Nestlé Portugal, que é também membro fundador do Pacto Português para os Plásticos, reduziu a utilização de plástico virgem em 2,5 toneladas.

Um centro de pesquisa mundial dedicado às embalagens

O desenvolvimento de novos materiais de embalagem, mais amigos do ambiente, tem sido impulsionado pelo Nestlé Institute of Packaging Sciences, o primeiro centro de pesquisa totalmente dedicado às embalagens em toda a indústria alimentar. Inaugurado em setembro de 2019 e localizado em Lausanne, Suíça, este instituto tem cerca de 50 cientistas que conduzem pesquisas sobre embalagens de ponta para garantir a segurança e a aplicabilidade de novos materiais. Muitas destas inovações estão já presentes em casa dos consumidores, em Portugal e um pouco por todo o mundo.