Nestlé retira 687 milhões de colheres de chá de açúcar da alimentação dos portugueses

Reformulação nutricional

Voltar11 Dez, 2018

Entre 2013 e 2017, a Nestlé retirou da alimentação dos portugueses 687 milhões de colheres de chá de açúcar com um peso total de 2.750 toneladas, o equivalente a 11.000 milhões de calorias. No cerne deste trabalho está o propósito Nestlé de melhorar a qualidade de vida e contribuir para um futuro mais saudável, através da reformulação dos seus produtos, diminuindo os teores de açúcar, sal e gorduras saturadas.

Os exemplos de reformulação encontram-se ao longo de todas as principais categorias do extenso portefólio Nestlé: dos cereais de pequeno-almoço, aos produtos culinários, passando pelos achocolatados e até pelo açúcar que acompanha as principais marcas de café do mercado. Estes exemplos podem ser conhecidos através da leitura de uma brochura dedicada ao tema, recentemente publicada pela Nestlé e disponível online em www.nestle.pt.

De facto, a reformulação nutricional dos produtos Nestlé começou há muitos anos com o objetivo de proporcionar produtos nutricionalmente mais equilibrados e adaptados ao gosto dos consumidores. Os exemplos mais recentes passam por uma redução de 30% no teor médio de açúcar da gama de cereais de pequeno-almoço (realizada desde 2008), onde se incluem marcas líderes de mercado como CHOCAPIC, ESTRELITAS, NESQUIK ou FITNESS.

A Nestlé foi igualmente uma marca pioneira na redução da gramagem de açúcar nos pacotes que acompanham os cafés SICAL, BUONDI, TOFA e CHRISTINA e que hoje têm 50% do peso de há alguns anos.

No que respeita à redução de sal, esta é claramente uma aposta ganha no extenso portefólio de produtos culinários da marca MAGGI onde, por exemplo, os tradicionais caldos de galinha tiveram uma redução de 20% no teor de sal. No seu conjunto, as reformulações significam a retirada de 49 milhões de gramas de sal da alimentação dos portugueses.

Estes e outros exemplos, já presentes no portefólio da Nestlé em Portugal, mostram o compromisso assumido ao mais alto nível na gestão da Companhia, que, como o próprio Diretor-Geral da Nestlé Portugal, Paolo Fagnoni, afirma: “como industriais de produtos alimentares e de bebidas temos a obrigação de encontrar soluções que ajudem os consumidores, contribuindo para diminuir significativamente os problemas de saúde pública relacionados com escolhas alimentares”.

Este é um trabalho que nunca vai estar terminado. A preocupação de corresponder às necessidades nutricionais dos consumidores portugueses começou há 96 anos em Portugal e a Nestlé continuará a sua caminhada pela reformulação de receitas, trabalhando de perto com as autoridades governamentais, com os seus pares e com a indústria, para assegurar aos consumidores a mudança necessária para uma vida mais saudável e mais feliz.