Sort by
Sort by

Como é que a Nestlé está a combater o trabalho infantil?

Crianças africanas na escola

 

O trabalho infantil é inaceitável e desolador. As crianças merecem ter a oportunidade de aprender e crescer num ambiente seguro e saudável. Estamos empenhados em colaborar com os nossos fornecedores e comunidades locais para prevenir e mitigar os riscos de trabalho infantil na nossa cadeia de abastecimento. A pobreza, a falta de acesso ao ensino e um conhecimento limitado sobre a segurança das crianças estão entre as causas do trabalho infantil. O nosso trabalho visa tomar medidas no terreno, abordar estas causas e ajudar as famílias a obterem um rendimento como meio de subsistência. O nosso impacto social tem sido avaliado por terceiros independentes (como a Fair Labor Association). Trabalhámos para construir e remodelar 50 escolas na Costa do Marfim e melhorámos o acesso à educação, protegendo mais de 145 mil crianças contra o risco de trabalho infantil.

Além disso, até 2025, estamos empenhados em rastrear todo o cacau de um grupo específico de produtores e garantir que 100% do cacau que usamos tem origem no nosso programa que garante a origem sustentável do cacau, o Nestlé Cocoa Plan. O nosso trabalho ainda não acabou. Na África Ocidental, a maioria do trabalho infantil vem de crianças que ajudam os pais nas plantações, por isso, damos prioridade ao envolvimento junto da família e da comunidade, bem como ajudamos as famílias dos produtores a obterem um rendimento como meio de subsistência. Continuamos empenhados em ajudar a acabar com o trabalho infantil na indústria do cacau.

 

O que faz a Nestlé para mitigar o risco de trabalho infantil?

Disponibilizar acesso ao ensino

O ensino é essencial para ajudar uma criança a desenvolver-se e os dados mostram que, em comunidades com um ensino de boa qualidade, o trabalho infantil é mais reduzido (International Cocoa Initiative).

  • Damos acesso a aulas de recuperação para crianças que não têm ido à escola e precisam de ajuda para recuperar o nível de escolaridade. Estamos também a trabalhar diretamente nas comunidades para garantir kits escolares e certidões de nascimento, que são obrigatórias para as crianças frequentarem a escola na Costa do Marfim.
  • Até à data, apoiámos a construção e a renovação de mais de 50 escolas na Costa do Marfim.
Impacto em ação
Com estas medidas, mais de 145 mil crianças foram protegidas do risco de trabalho infantil, desde 2012. Hoje, mantemos o contacto com as famílias de mais de 86 mil crianças para analisar o risco de trabalho infantil.

 

Vencer a pobreza ao promover uma economia estável e uma sociedade saudável

A pobreza é uma das causas do trabalho infantil. Acreditamos que os produtores devem ganhar um rendimento que lhes permita viver uma vida digna. Apoiamos produtores e comunidades para que melhorem os seus rendimentos e a sua qualidade de vida, ajudando-os a obterem um rendimento como meio de subsistência e oferecendo formação, criando programas de capacitação das mulheres e associações locais de poupança e empréstimo. Também melhoramos as condições de vida das comunidades com infraestruturas básicas, tais como fontes de água.

Além disso, em 2022 anunciámos uma nova abordagem de apoio às comunidades agrícolas, recompensando as famílias dos produtores de cacau não só pela quantidade e qualidade das suas sementes de cacau, mas também por práticas que beneficiam o ambiente e a comunidade local. A nossa abordagem holística visa proporcionar um impacto duradouro ao proporcionar incentivos adicionais de rendimento para permitir a colocação das crianças na escola, ao mesmo tempo que avançamos com práticas de agricultura regenerativa e igualdade de género. O programa recompensa as práticas que aumentam a produtividade das culturas e ajudam a assegurar fontes adicionais de rendimento, que visam mitigar o défice do rendimento de subsistência e ajudar a proteger as crianças.

Envolver as famílias e as comunidades

Na África Ocidental, a maioria do trabalho infantil na indústria do cacau vem de crianças que ajudam os pais nas plantações. Assim, priorizamos o envolvimento da família e da comunidade. Ao abrigo do Nestlé Cocoa Plan, ajudamos os pais a compreenderem os tipos de tarefas adequadas para as crianças. Assim que detetamos riscos de trabalho infantil nas milhares de casas abrangidas pelo Sistema de Monitorização e de Correção do Trabalho Infantil - CLMRS (pdf, 6Mb), tomamos medidas, colaborando com as famílias e comunidades para perceber a causa e criar soluções adaptadas. A Nestlé foi a primeira empresa a implementar um sistema para enfrentar o risco de trabalho infantil na sua cadeia de abastecimento de cacau. Disponibilizámos este nosso sistema a toda a indústria, e é agora amplamente utilizado por outras empresas compradoras de cacau.

Também ajudamos a comunidade a reduzir o risco ao organizar grupos de trabalhadores adultos, com o intuito de evitar que se envolvam crianças em atividades difíceis, como a poda nas plantações.

Impacto em ação
Os contactos da comunidade visitam as famílias com regularidade para orientar, avaliar o progresso e evitar retrocessos. Trabalhar com a comunidade e as famílias é essencial: 1600 contactos com comunidades por organizações não governamentais, fundações e cooperativas de produtores ajudam-nos a melhorar o bem-estar das crianças, aldeia a aldeia e plantação a plantação. A nossa abordagem de mitigação é agora muito usada por marcas de chocolate de renome, num esforço conjunto de eliminação do trabalho infantil.

 

Como sabemos de onde vem o cacau?

Até 2025 estamos empenhados em adquirir todo o cacau de plantações específicas e garantir que 100% do cacau que usamos tem origem no Nestlé Cocoa Plan.

Ao mesmo tempo, estamos a remodelar o nosso abastecimento para segregar e rastrear todos os produtos de cacau, conseguindo uma total rastreabilidade desde a origem da matéria-prima até à fábrica, nos próximos cinco anos. Isto conduzirá a uma maior transparência e responsabilização da cadeia de abastecimento, em benefício da nossa empresa e a nível de toda a indústria, ao mesmo tempo que dará aos nossos consumidores uma maior visibilidade sobre a origem dos ingredientes dos nossos produtos.

Devido à escala e à complexidade do problema, acreditamos ser essencial criar parcerias entre governos, empresas e ONGs. Eis os motivos:

  • Colaboramos com governos nacionais, autoridades locais, organizações não governamentais e outras empresas que usam cacau oriundo destes países.
  • As auditorias independentes por organizações terceiras, como a Rainforest Alliance e a Fair Labor Association, ajudam a promover melhorias contínuas.
  • Implementamos legislação adequada, com base em normas internacionais, que obriga as empresas a identificarem problemas de direitos humanos e ambientais, a agir segundo os mesmos e a comunicar o seu progresso. Apoiamos uma abordagem internacional forte e consistente para a elaboração de relatórios empresariais sobre direitos humanos.

Documentos relevantes

 

Tem mais alguma questão?