Atingir as zero emissões líquidas vai exigir grandes mudanças na forma como fazemos os nossos produtos.

Vamos passar a 100% de eletricidade de fontes renováveis nas nossas instalações até 2025, investindo em medidas de eficiência energética para reduzir a quantidade de energia consumida e passar a usar combustíveis renováveis para aquecimento térmico e outros processos.

Uma parte essencial da nossa ambição para 2050 depende da criação de uma rede logística mais eficiente e limpa. Estamos a otimizar os percursos, a encher o depósito dos veículos com mais eficiência e a trabalhar com operadores logísticos para mudar para combustíveis de baixas emissões. Entre estes temos a eletricidade verde, o hidrogénio verde e os biocombustíveis feitos a partir de resíduos em vez de colheitas para essa finalidade.

Também vamos usar mais linhas ferroviárias e transportes intermodais, e os nossos armazéns estão a minimizar o consumo energético, mudando para energias renováveis e reduzindo os resíduos.

Vamos aumentar a proporção de eletricidade renovável que usamos através de contratos de aquisição de energia, tarifários verdes, certificados de energias renováveis e produções no local para atingir 100% de eletricidade renovável até 2025.

Para além de formas já estabelecidas de energias renováveis, como a eólica e a solar, também vamos trabalhar com fornecedores para aumentar a disponibilidade de energia térmica renovável de fontes como biogás e biomassa, até 2030.

Vamos mudar a frota mundial de veículos para opções de emissões mais baixas até 2022. Começaremos por reduzir as emissões ao mudar para veículos que cumpram os padrões de emissões EURO V e VI. E se necessário, compensaremos as emissões restantes.

Em parceria com os nossos operadores logísticos, deixaremos gradualmente de reccorer a transportes movidos a combustíveis fósseis passando a utilizar meios de transporte movidos a combustíveis alternativos com emissões de gases de escape nulas. Estas alternativas incluem veículos movidos a hidrogénio, eletricidade e biocombustível - onde estes combustíveis não tenham sido produzidos em concorrência com culturas alimentares.

Investir em tecnologia para aumentar a eficiência ao encher o depósito dos veículos e no planeamento de percursos. Isto ajuda a evitar quilómetros em vazio fazendo a ligação dos transportes de chegada e saída, reduzindo ainda mais as emissões.

Temos de usar os modos de transporte de forma inteligente, mudando para percursos de transporte intermodais de emissões mais baixas, como vias férreas e marítimas. Isto também significa minimizar o transporte aéreo ao máximo.

O nosso programa de hubs de logística eficiente (T-Hub) terá um papel importante a cumprir a curto e médio prazo. O programa vai criar 19 escritórios a nível regional e local e centralizar a gestão e coordenação do transporte, recorrendo a ferramentas de visibilidade em tempo real e analítica avançada para permitir a gestão proativa de movimento de bens e otimização de veículos. Até 2022, os T-Hubs serão responsáveis por 80% do nosso orçamento de transporte.

 

Saiba mais sobre as ações que já tomámos em Portugal:

Capa do Net Zero Roadmap
Capa do Relatório de Criação de Valor Partilhado